Processos > Mirage III

Mirage III --- Processos

Traduzido por BabelFish

< Mirage F1
Mirage IV >

Mirage III

Introdução:

Mirage III A exportada em grandes quantidades e utilizada numerosos em conflitos, Dassault MIRAGE III é indiscutivelmente um fleurons da indústria aeronáutica francesa em matéria de aviões de combate. Em 1982, uma nova versão deste aparelho, o Mirage 3NG (Nova Geração), tomou o ar primeira vez, estendendo ligeiramente mais as capacidades do avião francês.





Avião polivalente:

Mirage III O sucesso do MIRAGE III provem sobretudo da notável flexibilidade de utilização cujo avião soube fazer prova. Concebido à partida como interceptor, este avião afirmou-se rapidamente como uma máquina polivalente capaz de efectuar missões de ataque ao solo ou reconhecimento. O desenvolvimento do sistema de arma foi empreendido graças dez aos MIRAGE IIIA encomendados pelas autoridades governamentais e construído entre 1958 e 1959. Só um destes aparelhos tinha voado quando, em Agosto de 1958, o Exército do Ar passou as suas primeiras encomendas de série, afirmando a sua fé nas qualidades desta máquina. Com o MIRAGE III, Dassault propunha-se realizar um avião de uma grande simplicidade de entrevista e da disponibilidade operacional elevada. A melhor prova do sucesso do construtor francês estes dois em domínios é a utilização intensiva que fizeram os Israelianos dos aparelhos deste tipo em serviço na sua força aérea durante a guerra dos Seis Dias. Durante os duros dias de Junho de 1967, os MIRAGE IIICJ do Heyl Ha' Avir não realizaram menos de doze saídas por dia, o tempo de approvisionnemt em combustível e munições entre duas missões trazido de vinte à sete minutos. O ritmo adoptado pela força aérea israeliana durante este conflito foi tão elevado que a Jordânia, o Egipto e a Síria foram convencidos que o Estado hebreus addressé nos Estados Unidos e nos o Reino Unido para alugar aparelhos suplementares.

De construção inteiramente metálica, o MIRAGE III possui uma fuselagem que responde à lei das áreas e comporta sete subconjuntos diferentes. Equipados de uma sede ejectável Martin-Baker, a cabina do piloto deste aparelho é compacta mas dispõe de instrumentos e encomendas arranjada de maneira lógica. Todos os elementos miniaturisés, com excepção de os que constam do quadro de controlo e o ecrã do radar. Esta fórmula actualmente ultrapassado era então revolucionária, o avião dotado igualmente de um sistema de navegação automático muito sofisticado. O equipamento Doppler Marconi, situado em carénage sob fuselagem, permite alimentar em informações diversos um calculador hoje obsoleto.

Mirage III Antes que uma secção de asa demasiado fina, que teria tornado necessários métodos de construção novos, Dassault preferiu adoptar um perfil de 5% de espessura relativa, graça ao qual pôde empregar técnicas correntes de realização dos velames. Esta lisura moderada do perfil, juntada uma uma corda média de velame bastante grande, oferece um volume inferior de asa que permite habitar fous pernas do comboio principal e uma quantidade considerável de combustível. As asas do MIRAGE III comportam caixões de torções abrangidos de painéis de revestimento que trabalham que compreendem reforçadores estruturais. Encomendados por um sistema hidráulico, élevons são dotados de um dispositivo de restituição dos esforços sobre a manga à vassoura. O comboio de três rodas retráctil é fornecido de travões à disco, a retardação do avião ao solo que pode ser assegurado por um pára-quedas de travagem. O MIRAGE III poderia operar desde terrenos sumariamente arranjados se for necessário. Simplicidade e fiabilidade são os dois termos que o Snecma emprego para dar conta das qualidades do reactor Atar 09C de 6200 kgp com reaquecimento que equipa último os MIRAGE III de série. Derivado de um reactor alemão do fim da Segunda Guerra mundial, o Atar não apresenta todas as melhorias dos propulsores actuais. Os desempenhos à elevada altitude podem ser aumentados graças um motor- foguete SEPR.844 dos 1500 kgp, que pode ser substituído menos de vinte minutos por um tanque suplementar que leva a capacidade máxima de combustível à 3320 l. para as missões à longa distância, MIRAGE III pode emporter sob velames dois tanques auxiliares de 600,.1300 ou 1700 l.


Hechas descubrir este lugar

©2000-2019 Olivier
todos os direitos reservados
CNIL : 844304

174 messages dans le Livre d'or.
854 commentaires vidéos.
O número máximo de usuários on-line : 127 em 27 Septembre 2007 à 22:02:33
-- 15 visitantes --

Version Mobile Tweeter Partagez moi sur Viadeo Partagez moi sur Facebook
FR EN DE IT SP PO NL