Crónica Aviação > 1930 - 1950

Cronica

Traduzido por BabelFish

< 1910 - 1930
1950 - 1970 >

África, 8 de Janeiro 1930 de

"o olho cyclope monstrueux, juché sobre o tecto da África." É assim que Walter Mittelholzer descreve o Kibo, mais bonito dos dois vulcões que penteiam o Kilimandjaro, que acaba survoler primeira vez. Familiar dos voos em região montanhosa, este fotógrafo explorateur suíço decidiu atacar-se ao Kilimandjaro, culminante à 6010 o Sr. Com o piloto Alfred Künzle, descola por um céu sem nuvem e survole as planícies povoadas de zebras e de antílopes. O seu Fokker é contado no máximo para diminuir a sua massa e aumentar o seu tecto. Perto do objectivo, Künzle desorienta o avião para a face do norte, à procura de correntes ascendentes, e monta-o mais de 6000 o Sr. Mittelholzer, fascinado, esquece a sua enxaqueca devida à falta de oxigénio e ponta o seu objectivo sobre a cratera boquiaberta do Kibo. Uma meia hora atrasado, a tripulação reganha o campo básico.


a Grã-Bretanha, 16 de Janeiro 1930 de

é uma descoberta que deveria ter muito grandes consequências para a aeronáutica. Frank Whittle, um engenheiro inglês, acaba de depositar uma patente preliminar para um turborreactor. Era os oficiais do RAF concebeu um motor que, em vez imprimir um movimento à uma hélice, ejecta um fluxo gasoso que cria a propulsão. O ar externo passa num compressor à rotor, o que aumenta a sua temperatura. Este ar comprimido desentupe então numa câmara de combustão onde o combustível é queimado à pressão constante. O abrandamento provocado pela combustão faz-se primeiro através de uma turbina montada sobre o mesmo eixo que o compressor e prossegue-se numa tubagem de saída, provocando uma força de reacção.


São Francisco, 1 Fevereiro 1930 de

hydravion faz concorrência à embarcação para a travessia da baía de São Francisco. Tynan Jr, que acaba de lançar o seu Ar Ferrys no céu californiano há firmemente. Os seus "eléctricos anfíbios" asseguram a ligação entre São Francisco, Alameda, Oakland e Vallejo. 100.000 pessoas perdem cada dia várias horas para atravessar a baía por ferry marítimo. Para atrair mais afortunada entre eles, Tynan e os seus associados aposta sobre a qualidade das suas prestações: embarcadères, situados perto das extremidades das lançadeiras, estão no meio dos centros de negócios; a frequência das ligações é elevada (três vezes por hora); por último, hydravions anfíbios utilizados, descolando e aterrando sobre plantas artificiais, asseguram a segurança, reduzindo ao mesmo tempo menos de dois minutos o tempo perdido durante os embarques e desembarques, graças a estaleiros flutuantes.


Estados Unidos, 6 de Maio 1930 de

dernier-né do grande construtor americano, o Model 200 Monomail, cujos aérodynamisme particularmente foi tratado, mérito o seu qualificativo de avião de transporte moderno. Originalmente da sua criação, Eddy Hubbard quis conceber um avião monoplan de transporte inteiramente em metal. Imediatamente, os engenheiros em Boeing puseram-se ao trabalho mais maior em segredo. O fruto dos seus esforços é impressionante. O Monomail, inteiramente metálico, é dotado de uma asa baixa, ligeiramente inclinada, e um comboio de aterragem retráctil. O compartimento para o posto é situado na frente da cabina do piloto, que continuou a ser aberta.


Nova Iorque, 3 de Setembro de 1930 o

dois frenchies nunca teria imaginado tal acolhimento! Nova Iorque está liesse para aclamar a tripulação francesa que acaba de vencer o oceano Atlântico. Partido o 1 de Setembro à 10 h 55 Bourget, atingiram Curtiss Field, perto de Nova Iorque, em 37 horas e 18 minutos. Uma estreia efectuada à velocidade média de 167 km/h. Os dois heróis tentaram esta proeza em qualquer conhecimento de causa. Dieudonné Costes, chefe de bordo do Breguet 19 baptizado Point de interrogation, uma vez ainda, mostrou o seu "knowhow". Quanto a Maurícia Bellonte, conhecia-se já os seus talentos de navegador formado a escola do transporte aéreo. A preparação da travessia do Atlântico foi meticulosa. O avião, pinta vermelho, é ornado de um ponto de interrogação branco, afixado com efeito por mecânicos em 1929, enquanto que a fábrica Breguet, que preparava o aparelho, guardava ciumentamente secreta o seu futuro destino. Actualmente, conhece-o -se e bonito o biplano vermelho envole para o mar. Os dois homens não podem comunicar que através de mensagens escritas sobre extremidades de papel, como: "dar-me -ás um pouco de frango e caldo quente." Survolent Southampton à 11 h 50; à 13 h 45, a costa irlandesa; por último à 14 h 50, o rio Shannon. Entre 19 e 22 horas, o aparelho deve desviar-se da sua estrada, devido a turbulências atmosféricas, e faz um gancho para o norte. _ 22 hora 4 h 35, Point interrogation facto de novo gancho, para Sul este vez, para juntar Estados Unidos linha mais directo. À 11 h 25,24 horas após a partida, será localizado pela estação Saint-Pierre-et-Miquelon. Acima Bóston, um avião vem ao encontro de Costes e Bellonte que se sabem à extremidade das suas penalidades. Com efeito, aterram à Curtiss Field 11 minutos após meia-noite. Mal saídos do aparelho, os dois heróis são levados em triunfo pela multidão até um hangar onde esperam-o todas as personalidades francesas então presentes em Nova Iorque: o navegador solitário Alain Gerbault, o jogador de ténis Jean Borotra... Ele entonne Marseillaise. De repente, Costes e Bellonte observam uma grande silhueta filiforme que eles sorri desde um canto do hangar. Charles Lindbergh, veio lá de felicitar-o em pessoa. É à este momento que os Franceses compreendem que, eles também, entraram na legenda. _ ser seguidamente desfile Broadway Ave, sob milhar folha anuário telefónico cair este céu que eles ter vencer.


Istres, 10 de Junho de 1931

10520 quilómetros. Esta vez, o recorde de distância em circuito fechado é batido largamente. Brix e Doret podem ser satisfeitos seu Trait de union, monoplan Dewoitine D.33, às linhas élancées, graça ao qual percorreram esta distância, sem abastecimento, em 70 horas e 11 minutos. É a primeira vez que o cabo dos 10.000 Km assim é cruzado.


Roosevelt Field, 1 Julho 1931 de

Winnie Às encomendas do Lockheed Vega, Wiley post, que, se é um ás da pilotagem, não é menos zarolho! Gatty, o navegador, da mesma maneira que post, é decidido bem ir mais rapidamente que durante a precedente volta do mundo, em 1924. O 23 de Junho, descolam de Roosevelt Field (Nova Iorque) à 4 h 55. A primeira etapa o conduto à Terra-Novo. Descolam então para a Europa: cabo sobre a Inglaterra. Cair-o da noite, post piloto aos instrumentos, ajudado pelas indicações de Gatty. Vão pôr-se seguidamente em Moscovo, seguidamente à Novosibirsk, na Rússia central. Para ganhar o Canadá, devem survoler as montanhas Rochosas, e, sob uma chuva que bate, aterram à Edmonton. Por último, à 0 h 47, chegam à Roosevelt Field onde espera-o uma multidão de 10.000 pessoas. Post e Gatty assim percorreu cerca de 25.000 Km em 207 horas - ou seja oito dias e 15 horas - e 51 minutos.


Tóquio, 26 de Agosto 1931 de

é como conselheiro técnico para o Pano American que Charles Lindbergh e a sua esposa, Anne, partiu para um voo de reconhecimento para o Oriente. O 29 de Julho, o casal de escola de Nova Iorque, à bordo hydravion Lockheed Sirius, e deverá cruzar numerosas etapas antes da chegada no Japão seguidamente na China, objectivo da viagem. Anne responsável da rádio. Mais bonito cumprimento que de resto nunca é recebida veio de um operador rádio sobre a sua maneira de tomar e enviar mensagens: "nenhum homem poderia melhor fazer", diz-lhe. A metereologia é tremenda. Passa por Ottawa, Ponto Barrow, onde os alguns brancos perdidos em Esquimaux acolhem-o com stupeur. Por último, chegam à Tóquio apesar de um nevoeiro persistente. Em alguns dias, partirão para a China.


Oran, 26 de Março de 1932 os

pilotos Lucien Bossoutrot e Maurícia Rossi realizam desde dois anos numerosos desempenhos. Têm esta vez levados o recorde de distância em circuito fechado à 10 620,480 Km às encomendas dos Blériot 110. e aquilo, apesar de uma fuga um tanque após 40 horas de voo, que causou a perda de 30 l de combustível. _ mais, condição venda ter facto cair média avião 145 km/h. Os Blériot 110 foi desenhados, no início do ano 1929, pelo engenheiro Filippo Zappata que concebeu-o especialmente para bater recordes de distância. O Blériot foi baptizado Joseph o Brix em homenagem ao aviador desaparecida eis alguns meses em Oural. Após um primeiro voo de ensaio, ao mês de Maio de 1930, impôs-se rapidamente como um aparelho às qualidades excepcionais. Este recorde era detido desde Junho de 1931 Brix, Doret e Cadiou sobre o Dewoitine 33 Trait de union.


o Cabo, 18 de Novembro 1932 de

a competicão bate o seu cheio entre os cônjuges Mollison: Amy, exjohnson, celebra-o actrice, faz melhor que o seu marido Jim sobre a distância Londres o Cabo, que cruzou em quatro dias e sete horas à bordo o seu Puss Moth, ele Desert Cloud. Para estabelecer este novo recorde, Amy arriscou um voo de noite entre o Camarões e a Angola. "pus 13 horas para percorrer 1300 Km, sem visibilidade", declarei à sua chegada. O casamento do Mollison constitui na Inglaterra romance do ano. Fiancés o dia do seu encontro, < à i>Quaglino, restaurando em voga em Londres neste momento. À época, o sedutor Jim, que tivesse trocado o seu acento de Glásgua para falá-lo punir Oxford, teria sido prometido a um jovem aristocrata. Os casamentos de Jim e Amy tiveram lugar o 29 de Julho à Santo- Georges Hanover Praça mais estrita na intimidade. O que não impediu a multidão se ruer à saída da igreja para ver o famoso casal fujir-se para o seu hotel. Menos de três semanas atrasado, o 18 de Agosto, Jim descolava do Port-Marnock, na Irlanda, para tentar primeira a transatlântica Europa a América solo. O seu Puss Moth, The Hearts Content, com 725 l de gasolina, ou seja oito vezes a capacidade de origem. Mollison enfrentou ventos de face de 65 km/h e aderiu Pennfield Ridge (Canadá) em 31 horas. Tinha mais apenas duas horas de gasolina à chegada, que têm vagueado sete horas de um nevoeiro. Quais riscos tomarão amanhã?


Natal, 11 de Fevereiro 1933 de

após o abandono hydravions Latécoère, a linha da América do Sul pensa ter encontrado o avião ideal com o Arc-en-ciel. Pilotado por Mermoz, este trimoteur concebido pelo engenheiro Couzinet teve êxito a sua primeira travessia do Atlântico. Após um périplo na Argentina e o Brasil, prepara-se para reganhar a Europa. A ideia deste invadir experimental retorna à Mermoz. Realmente é entusiasmado por este avião revolucionário, construído em redor de um valor baixo modilhão. O 12 de Janeiro, descola Bourget com seis pessoas à bordo. Após uma primeira escala à Istres, uma vidraça quebrada interrompe a viagem ao Port-Etienne, onde repart o 13 para Santo- Louis do Senegal. O atrasado por chuvas diluviennes, avião deixa a África o 16 à manhã e aterra-a no mesmo dia Natal. Atravessou o oceano de 14 h 27 minutos de voo à uma velocidade regular de 230 km/h com uma segurança máxima. Acolhido triunfantemente para este desempenho, é festejado em Rio de Janeiro, seguidamente repart para Buenos Aires e junta-se Natal.


o Cabo, 14 de Fevereiro 1933 de

novo quadrimoteur de Imperial Airways, o Armstrong Whitworth 15 baptizado Atalanta, tem chegado de Londres hoje, após um voo de resistência de 71 horas. Para aderir a capital sul-americana, Imperail Airways escolheu este avião de uma autonomia de 600 para 900 Km, que pode transportar nove momentâneos, do correio e o frete à velocidade de 185 km/h. Preocupados de responder às necessidades da companhia, o seu projectista, John Lloyd, desenhou um monoplan ao lugar do biplano tradicional. O monoplan, pela sua configuração aerodinâmica, é mais rápido em voo. A configuração asa elevada e comboio fixo convem para as linhas africanas.


Paris, 26 de Outubro de 1933

não é a primeira vez que vem à Paris. Charles Lindbergh, seis anos após a sua proeza histórica, faz uma visita ao parisienses. Esta vez, seu hydravion pôs-se sobre o Sena e a multidão entusiasta apercebeu, acompanhando o coronel, delicada uma silhueta; a esposa de Lucky Lindy, Anne Morrow-Lindbergh, está da viagem. Discreta, não quis melhor indicar-se parisienses. No entanto, estará aos lados do seu marido, aquando da visita obrigada à embaixada dos Estados Unidos. É com muita cortesia que deixará horde de fotógrafos tomar clichés do casal. A viagem de Lindbergh não tem nada a ver com o turismo. O piloto, contratado recentemente pelo Pano American Airways, explora a estrada transatlântica do Norte que permitirá, talvez, um primeiro serviço aéreo entre os Estados Unidos e a Europa.


o Port Darwin, 23 de Maio 1934 de

é grande, bonita e não tem medo de nada. Da parte superior dos seus 24 anos, este jovem neozelandês ao sorriso brilhante acaba de estupeficar o mundo. Partido único às encomendas de um velho Gipsy de Moth com o qual tinha razoavelmente nenhuma possibilidade de ter êxito, Joan Batten triunfou dos 16.000 Km que separam Londres do Port Darwin, na Austrália. Fez a viagem em 14 dias, 23 horas e 30 minutos. Bate o recorde Amy Johnson mais de quatro dias! Rapariga de um dentista, nascido algumas semanas após a proeza de Blériot, recebeu o seu baptismo do ar com o famoso Kignsford-Smith. Surpreendendo desagradavelmente a sua família decidindo de tornar-se piloto e não pianiste, parte em 1929 para Londres a fim de passar a sua patente privada e erigir, com um entusiasmo juvenil, o seu voo para a Austrália. Surdo à ironia dos jornalistas em frente dos seus dois precedentes malogros, Joan testemunha, pela sua entalhadura, da vontade das mulheres que decidiram voar.


Oakland, 12 de Janeiro 1935 de

são 10.000 a ter-se dado encontros sobre a pista de Oakland. Não é ainda meio-dia quando apercebem por último o Vega tanto esperado. Às encomendas, Amelia Earhart é que sorri. Tem-se o mal a imaginar que a jovem mulher, parte de Honolulu, cobriu 3875 Km de 18 h 16 minutos. Se for levada em triunfo, não é por que trata-se de uma mulher. É o primeiro piloto ter realizado tal proeza. No entanto tinha crido de não poder partir. O céu de Honolulu estava coberto de nuvens e trombe tropical acabava de golpear a cidade. Fiel à sua reputação é forte da sua experiência, decidiu contra muito de descolar. Não lamenta.


os Estados Unidos, 15 de Maio 1935 de

Taylor Cub E-2 é um avião tão simples que mesmo uma criança pode pilotar. À Savannah, em Georgie, um jovem rapaz de 11 anos voou único à bordo deste pequeno avião, concebido por Oilman Marcar. Em 1929, este último investido na firma de aviação dos irmãos Taylor. Mas, imediatamente depois a América sombria na depressão. Para relançar as vendas, Marcar sugere construir um avião elementar a um preço mínimo. Assim nasce o modelo E-2 Cub, ligeiro e pouco incómodo, propulsado por um motor Brownbach de 20ch. Infelizmente! A potência do motor é insuficiente, e o avião pode mal voar. É a falência. Mas Marcar prossegue a sua ideia. Rachète as acções da companhia Taylor e equipa esta vez o E-2 Cub de um Continental Motor de 37 CH à quatro cilindros resfriados por ar. O avião é proposto ao preço de 1325 $: obtem um enorme sucesso.


os Estados Unidos, 17 de Dezembro 1935 de

haver melhor conclusão para este voo de ensaio. American Airlines alterou a sua nota de encomenda à Douglas. Não se trata mais agora de entregar 10 aviões, mas 20, repartidos em oito DST (Douglas Sleeper Transporte) e 12 em versão Cd- 3. O DST pode transportar 14 pessoas instaladas em beliches sobrepostos 2 x 2. A versão Cd- 3 emportera 21 passageiros sentados em sedes clássicas. Esta versão estará disponível apenas em oito meses. Ao solo, para distinguir-o do CD-2, maneira mais simples para o profano é contar as janelas. O CD-2 tem sete ao longo da fuselagem e o CD-3 em conta oito. O voo de ensaio teve lugar ao aeródromo de Clover Field, em Califórnia. O aparelho descolou às 15 horas, pilotado por Carl Cover, assistido por Fred Stineman e de Frank Collebohm. Foi 1 h 40 de voo sem história. Para Douglas, este sucesso é animador. O estudo deste avião necessitou 4.500.000 $ de empréstimo ao Estado. A rentabilidade do aparelho é surpreendente. Com 21 sedes contra 14 aos Cd- 2, as despesas de exploração são apenas de 10% superiores. O transporte de passageiros pode tornar-se rentável.


Newark, 14 de Janeiro 1936 de

Howard Hugues acrescentou um novo troféu ao seu quadro de caça. Após ter retirado há alguns meses o recorde do mundo de velocidade, acaba de estabelecer o do voo transcontinental mais rápido. Descolou de Burbank, em Califórnia, às encomendas de um avião Northtrop Gama alugada ao aviatrice Jacqueline Cochran. O aparelho foi alterado pelos seus cuidados. Equipou-o de um novo motor Wright em estrela que desenvolve 1000 CH e impulsionando uma hélice à três lâminas. _ oeste ser, ter percorrer sem escala qualquer território americano. Após 9 h 36 minutos 10 segundos de voo, aterra à Newark, no New Jersey. Teve a velocidade média de 417 km/h durante este voo. Bateu uma vez ainda o recorde de velocidade estabelecido por Rosco Turner, o que deixa prever os voos transcontinentaux de linha.


Villacoublay, 23 de Junho 1936 de

decididamente, nada para o aviatrice francês Maryse Hilsz. Mal entregue do seu acidente, ocorrido em Maio passado, tenta de novo ultrapassar-se à bordo de um biplano Potez 50 equipado de um motor Gnomo & Rhône de 900 CH. Esta vez, bate o recorde de altitude feminino escalando até à 14.309 m; o que deixa-o à 266 m do recorde mundial do soviético Kokinadi. É um bonito desempenho, porque o voo à grande altitude é muito diferente de o executadas em baixa camada.


Paris, 1 Agosto 1936 de

Louis Blériot meurt na aflição. A aviação tinha-lhe dado gloire e a fortuna. , Que segou tanto jovens vidas, deixou-o morrer na sua cama como se era um homem como os outros. Engenheiro de um imenso talento e aviador às múltiplas proezas, tinha sido um dos primeiros passionner para a técnica do voo que contribuiu para aperfeiçoar. Seu témérité era tal que tinha-lhe valor o apelido do homem que caía sempre. Estes últimos anos, problemas financeiros tinham-o forçado de fechar os seus ateliers e quase estava sem recursos quando emporté por uma crise cardíaca.


Nova Iorque, 6 de Maio 1937 de

é 19 h 30 quando o dirigível Hindenburg que vem de Berlim chega ao seu mastro de amarração ao terreno de Lakehurst, perto de Nova Iorque. De repente, inflama-se. Há 36 vítimas das quais 13 passageiros. Havia 97 pessoas à bordo. À Nova Iorque, fala-se de acidente, mas, em certos meios do Reich, tem-se apenas a hipótese sabotage. Não faz dúvida que esta catástrofe, ocorrida nos Estados Unidos, corre o risco de pôr termo ao transporte de passageiros por dirigível. O ano passado, mais de 3500 pessoas atravessou o Atlântico à bordo dos dirigíveis alemães sem que lamente-se mais mínimo acidente. A linha era compartilhada entre Graf Zeppelin e ele Hindenburg. Desde 1928, ele Graf Zeppelin percorreu 1.350.000 Km e transportou 13.000 pessoas em condições de conforto que não se encontra nos aviões.


Pacífico, 2 de Julho 1937 de

o último voo Amelia Earhart. Disse: "fazemos estrada do norte e do sul", e seguidamente mais nada. Um silêncio terrível que fez de entrar Amelia na legenda. O aviatrice tinha partido à bordo do Lockheed Electra 10E, em companhia do navegador Fred Noonan, o 1 de Julho. Todo tinha sido feito face com meticulosidade, excepto talvez a rádio. Amelia tinha devido deixar em Miami uma longa antena, no entanto necessário durante a longa travessia do Pacífico. No entanto, todo passa-se para melhor até ao Porto Rico, seguidamente Natal, o ponto de partida para a etapa transatlântica. O aviatrice é impressionado pelas paisagens que survole: Dacar, a Arábia, seguidamente Karachi, Calcutta e Rangoon. Após ter passado por Singapura e Bandung, a tripulação ganha a Austrália e a Nova Guiné. Permanece-lhes ainda 11.000 Km cobrir. Até agora, o piloto é conquistado pelo seu aparelho. Devem pôr-se à Howland todos os, um todo pequeno ponto no Pacífico a que juntar-se-ão nunca. As mensagens Amelia brouillés por parasitas. Durante horas, aparelhos e navios tentam reencontrar a tripulação. Desapareceram nunca no céu, mas não as memórias.


a França, 19 de Novembro 1937 de

pode ser escritor, filósofo, piloto e também científico. Antoine de Saint-Exupéry é um autêntico inventor e prova depositando num mês duas patentes ao instituto nacional da propriedade industrial. Após o seu dispositivo para aterragem de avião, publicada o 11 de Março de 1936, eis os seus "novos métodos para a aterragem dos aviões sem visibilidade, com dispositivo e aparelho de realização". Este método permite conhecer permanentemente a distância exacta em relação ao solo survolé. Segunda patente, igualmente revolucionária, goniographe: trata-se de um aparelho que permite traçados geométricos com medida precisa dos ângulos. Trabalhador infatigable, está em condições de depositar outra patente: um sistema repetidor de leitores de aparelhos indicadores ou de medida. Saint-Exupéry não terminou de surpreender.


Nova Iorque, 14 de Julho 1938 de

se Jules Verne puder sonhar fazer a volta do mundo em 80 dias, Howard Hugues realizou esta proeza em três dias. Uma aventura extraordinária que este passionné de velocidade e quatro membros de tripulação concluiu. O multimilionário tinha fornecido o Lockheed Model 14 Electra dos equipamentos mais modernos em matéria de comunicação e navegação. Tinha posto nas ajudas do avião 40 Kg de bola ping-pong, de modo que flutue no caso amerrissage forçado. Fantasioso Hugues não faz as coisas à metade: tinha instalado em Nova Iorque um centro de meteorologia que recebia e transmitia ao Lockheed das informações vindas das lugares pelas quais passava, a Europa, o Pacífico e a costa ocidental dos Estados Unidos. Mas Hugues é também um homem de negócios cuidadosos: a sua chegada coincidiu com a feira mundial de Nova Iorque. De resto tinha baptizado o seu aparelho < I > Nova Iorque World' s Fair. Tanto dizer que não se esperava a ser único sobre a pista de Floyd Bennett Field. 25.000 pessoas vieram de aclamar, como deve, este recorde de velocidade para uma volta do mundo. Em três dias 19 horas e 24 minutos, Hugues fez a sua entrada na história. _


Polónia, 1 Setembro 1939 de

ser apenas este tarde que Luftwaffe ter poder lançar invadir maciço sobre Polónia. Um espesso nevoeiro tinha impedido as saídas da manhã. _ 30 ataque maciço ter ser lançar sobre objectivo estratégico, 8 cujo 219 Stuka. Os cobertos por FB 109, aviões de observação Hs 126 primeiro têm localizado as concentrações inimigas. Prevenidos por rádio, o Ju 87 intervieram. Todas as sirenes que urram, os aviões picaram sobre os seus alvos, liberaram as suas bombas e mitraillé os bandos ao solo. Em muitas lugares, a violência do choque foi tal que os soldados polacos mais não ofereceram resistência face ao Panzer.


Estados Unidos, 13 de Maio 1940 de

ascender no ar à vertical, flutuar sobre um ponto preciso seguidamente retornar para pôr-se ao lugar desejado: um sonho que até agora não tivesse podido ser realizado de maneira convincente. O progresso das técnicas permitiu Igor Sikorsky imaginar um novo helicóptero, o VS-300. Primeira vez, o seu engraçada de pequena máquina teve no ar mais de 15 minutos, emitida das cordas que mantinham-o para evitar as sacudidelas.


Londres, 15 de Agosto 1940 de

o plano de invasão da Grã-Bretanha por Hitler depende da capacidade do Luftwaffe de controlar o céu da Manga e da costa é da Inglaterra. Os Alemães têm lançado hoje sua mais maior ofensiva contra o RAF, com uma série invadir sobre os terrenos e as estações radar do país. Atacam totais, da Escócia à costa do Kent e o Sussex, para obrigar o RAF a bater-se sobre um frente muito vasto 10 Goering está certos que é as tripulações mais aguerris - não têm sofrido até agora nenhuma derrota - não vão fazer que bouchée das centena de caçadores ingleses que cruzarão a sua estrada. A táctica do Estado-maior alemão é bombardear os terrenos do Fighter Mandatório tempo o Messerschmitt FB 109 abbateront o Spitfire e o Hurricane do RAF. Enquanto que terrenos como Manston sofreu terrível pilonnage, causando pesadas perdas, o Luftwaffe foi atacados por aviões emergidos de outras bases, com uma tal bravura que a campanha inglesa jonchée de restos de aviões alemães. O bom uso do radar, um centro táctico gerido bem, a qualidade dos homens e os aparelhos do RAF transformou o sonho de Goering em pesadelo sangrento.


Cranwell, 15 de Maio 1941 de

Frank Whittle ganhou a sua aposta. O seu motor propulsado um avião durante 17 minutos. A partir de 1936, tinha tido êxito, apesar enormes de dificuldades financeiras, fundou o Power Jorros Ltd., destinado a desenvolver um motor à reacção que ele mesmo tivesse realizado: o Gyrone. Em 1937, à Ladywood, o engenho está pronto para funcionar: o compressor monta até à 8000 tr/min os testemunhos recorda-se ainda do pânico na frente do engenho que parece pronto para explodir. Finalmente, os ensaios são satisfatórios e o ministério do Ar pede à Whittle que equipe um avião do Gyrone. Um Gloster torna-se assim o primeiro avião à reacção britânico. Descolou de Cranwell com, encomendas, Gerry Sayer, que lançou os reactores até à 16.000 tr/min Frank Whittle via os seus quatro anos de investigação por último coroados de sucessos.


Hawaï, 7 de Dezembro de 1941

"Invadir aéreos sobre Pearl Harbor." Não é um exercício."" É 7 h 58 da manhã em Hawaï. Enquanto contraamiral Bellinger, do torre de controlo de Ford Island, lança a sua mensagem, os bombardeiros japoneses esmagam sob as bombas a frota americana do Pacífico. Os aviões do capitão frégate Mitsuo Fuchida tinham sido detectados bem pelo radar de Opana, mas o centro de controlo tinha-o confundido com do Flying Fortress que esperava-se esta manhã. Também, quando à 7 h os 49 183 aparelhos da primeira vaga chegam acima do ancoradouro, o céu está vazio. O efeito de surpresa é total e, antes mesmo que as primeiras bombas caem, de Fuchida lança o sinal "Tora, tora, tora!" (Tigre, tigre, tigre!) amiral Nagumo, o comandante da força naval de assalto. À 7 h 56, os bombardeiros nipónicos desencadeiam um fogo de inferno sobre os navios de guerra. Os pilotos japoneses conhecem por coração o plano da base. Enquanto os caçadores Zero e os bombardeiros de picado Aichi D3A1 Vale estreito dispersam-se em secções para bombardear e mitrailler os aeródromos de Wheeler, de Kaneohe, de Ewa e de Hickham, os aviões contratorpedeiros Nakajima B5N2 Kate tomam o seu cabo de abordagem, seguidamente descem para colocar-se em posição de TIR por través navios de guerra. Em alguns minutos, cinco navios, o Oklahoma, Nevada, o Arizona, o West Virginia e california, são desventrados pelos torpedos de 800 Kg do Kate. Tocado bâbord, o Oklahoma volta-se, absorvendo 400 Marín. No quarto de hora que segue, o Arizona explode, as suas máquinas e o porão à munições foram tocados. Amarrado em cabeça de fila, california será a última navio de guerra a ser atingido. _ dois torpedo penetrar sob ponte. A tripulação impede-o de virar-se mas não pode evitar que meta-se lentamente nas águas do porto. À 8 h 40 uma segunda vaga de 86 Vale estreito, 54 Kate e de 36 caçadores Zero, abordam Oahu pelo leste. Cerca de raro Curtiss P- 40 descola da pista de Wheeler. Vão destruir 11 aviões inimigos. _ capitão corvette Shimazaki, que dirigir acção, tomar para alvo navio de guerra nevada, qual ter finalmente ter êxito tomar mar sob aclamação tripulação Oklahoma. Às 10 horas todo é terminado: a potência naval americana é diminuída para longos meses. Contará-se 2403 mortes e 1178 feridos do lado americano; _ 18 navio ser vazar ou gravemente danificar, navio de guerra cujo oito. A aviação perdeu 347 aparelhos. Os Japoneses registam quanto a eles apenas perdas irrisórias: 29 aviões e cinco submarinos de bolso.


União Soviética, 21 de Janeiro 1942 de

Kuznetsov é tenente, tem apenas 23 anos. Descolou para uma missão em Shtourmovik e acaba de retornar em Messerschmitt FB 109! Enquanto que um combate obstinado opunha seus équipiers aos caçadores alemães, viu a maioria dos seus amigos cair em chamas. Choques agitam o seu avião, um espesso fumo preenche a cabina do piloto, é tocado, o avião queima. Tem exactamente o tempo de pôr-se e fujir esconder-se nas talhadias para evitar a explosão. Um barulho de motor acima ele. O Messerschmitt aterra por sua vez à cerca de dezenas de metros. Arma ao punho, o piloto alemão dirige-se para a carcaça em fogo do Shtourmovik sob o olho médusé do jovem tenente. Enquanto que aquele que abateu-o prossegue a sua inspecção, corre, salta no Messerschmitt e envole para a sua base. _


Estados Unidos, 12 de Maio 1944 de

novo recorde travessia transcontinentale. Partido de Inglewood, em Califórnia, um caçador Mustang P-51 pôs-se sobre o terreno Guardia após uma travessia de seis horas 31 minutos e 30 segundos. O seu piloto, o coronel Claro Peterson, do Army Força aérea, melhora assim de 49 minutos o recorde de velocidade estabelecido monomoteur sobre um voo transcontinental, que era detido por Howard Hugues. _ sete minuto após Peterson se pôr Mustang P-51 Jack cárter partir também Inglewood, mas um minuto mais atrasado. Estes caçadores são equipados de um motor Merlin de 1680 CH construídos sob licença nos Estados Unidos por Packard. Além disso, aquando do voo, o peso destes aparelhos igualizava o de um avião que parte ao combate.


Nagasaki, 9 de Agosto 1945 de

invadir que acabam de efectuar dois B-29 continuará a ser marcado na história da humanidade. O 6 de Agosto, pilotado pelo coronel Paul Tibbets, o B-29 baptizado Enola Gay 97e de Abaular de Group, descola da ilha Tinian, no Mariannes. O tempo é perfeito. São 12 membros de tripulação, fotografados antes da partida. Dois outros B-29 faz parte da viagem. O primeiro filmará a explosão, o segundo fará extractos científicos. À bordo de Enola Gay há apenas uma bomba mas é um superbombe: Little Boy. Foi armada durante o voo. À 8 h 15 minutos e 17 segundos, hora local, o bombardeiro, à 9600 m de altitude acima Hiroshima, libera o terrível engenho. Transfere imediatamente à direita para afastar-se. Após a explosão, o balanço é dramático: 80.000 mortes e uma destruição da cidade 60 %. no mundo, stupéfaction faz lugar à consternação. O Japão não parece para tanto pronto para render. O 9 de Agosto, é à volta B-29 Bock' s Car fazer a sua entrada na história. Pilotada pelo major Sweeney, a similar porta a segunda bomba: Fat Man. As nuvens demasiado espessas salvam a cidade de Kokura. Nagasaki é destruída à 70% e assinala-se 40.000 mortes dos restos.


Toussus-le-Noble, 6 de Junho 1946 de

Voo experimental hoje para Belphégor, Johnny Burtin, o piloto de ensaio da sociedade nacional de construções aeronáuticas do Centro, antigas fábricas Farman, descolou esta manhã de Toussus-le-Noble. A NC 3021 é monomoteur de 10.000 Kg. A sua enorme hélice quadripale é provocada por um motor Daimler-Benz DB 610, de uma potência de 3000 CH. O aparelho foi concebido para servir de laboratório de exploração da estratosfera. Pode atingir uma altitude de 12.800 m e é dotado de uma cabina pressurizada para cinco pessoas. Está previsto para uma tripulação de três membros acompanhados de dois engenheiros de investigação. Belphégor tem por missão de analisar os problemas colocados pela altitude: a pressurização, as suas variações bem como a impermeabilidade da cabina. Deve também estudar os problemas colocados pela alimentação dos motores à explosão muito às elevadas altitudes.


Muroc Dry Lake, 9 de Dezembro 1946 de

o Bell XS-1 é o avião foguete de investigação do USAAF. Liberado de um B-29, realizou com sucesso um segundo voo autónomo motorisé acima a base de ensaio de Califórnia. O XS-1 é construído por Bell: o projecto é financiado pelo USAAF e de governo através do Cidadão Advisory Commitee for Aeronautic (NACA). Concebido para voar muito à elevada altitude, o XS-1 devia efectuar os testes de velocidade que vão permitir cruzar o muro do som. Em função da temperatura e a pressão atmosférica, a velocidade do som, Mach 1, é cerca de de 1050 km/h. O primeiro ensaio foi efectuado o 19 de Janeiro. Desde, as superfícies das asas e gouverne de profundidade foram reduzidas. O Bell XS-1 deveria cedo ser capaz de realizar o voo histórico. _


Muroc Dry Lake, 25 de Agosto 1947 de

novo recorde velocidade elevado altitude base EUA força Califórnia. O major Marion Carl, do corpo das marinhas, atingiu Mach 0,99 (1047,356 km/h) à bordo do D-558 Skystreak, cognominado Crimson Teste Tube devido à sua carlinga écarlate.


Muroc Dry Lake, 14 de Outubro 1947 de

o muro do som não o parou. Charles Yaeger teve êxito que cria-se perigoso, ou mesmo impossível. À 10 h 30, produzindo um golpe como previsto, o X-1 cruzou a barreira misteriosa de um território até -lá inviolé. _ proeza notável que um dever aparelho como homem. Às 10 horas, Yaeger instala-se às encomendas do Bell X-1 baptizado, em homenagem à sua mulher, Glamorous Glennis. O céu do deserto, beleza mas glacial, anuncia um bonito dia. Qualquer é perfeito, excepto as duas costas que Chuck quebrou-se esta noite aquando de um voo clandestino! Mas nulo não o sabe. Solto em doçura à 6000 m pelo seu avião portador B-29, o X-1, propulsado por dois foguetes, atinge a atitude de ensaio de 12.000 m. O último foguete acende-se. Alguns segundos atrasado, sem outra indicação que a que dá-lhe o seu quadrante, Yaeger compreende que entra na legenda: comuta parou-se Mach 1,06 (1127 km/h)! Não houve esta vez-CI nem choque nem modificação do comportamento das encomendas. O X-1 cruzou seguidamente exceder a onda de choque criado pela compressão do moleculares de ar à esta velocidade. O mundo dos voos supersónicos abre-se à humanidade.


os Estados Unidos, 29 de Janeiro 1948 de

antes da guerra, Théodore Salão, engenheiro em Consolidated Vultee (Convair), reflectia já ao automóvel volante. A partir de 1945, desenvolve a sua ideia. Desenha então um automóvel à duas sedes, equipado de um motor Crosley de 26 CH e munida de uma destacável. Seguidamente aparecem um novo modelo equipado de um motor Franklin de 90 CH. Terminado em Junho de 1946, o automóvel volante realiza um primeiro voo de ensaio o 12 de Julho. Após que vem o modelo 118, mais sofisticado. O seu primeiro voo, o 15 de Novembro passado, falta mal terminar. À extremidade de combustível, o aparelho pôs-se em catástrofe, o automóvel foi destruído e um dos pilotos aleijado. O último modelo, que Salão fez de voar hoje, é o Convair 118. O motor é ainda mais potente. Escolheu um Lycoming que impulsiona uma hélice tripale de tracção Sensenich.


Forte Worth, 2 de Março 1949 de

o B-50 "Lucky Lady" faz a volta do mundo sem escala. Tinha partido aqui do 26 de Fevereiro e acaba de retornar após ter realizado a volta do mundo sem estar a pôr-se. Equipado do sistema de abastecimento em voo, retomou o combustível acima os Açores, acima as Filipinas e ao redor Hawaï. _ ser cada vez um KB que ser encontro com combustível necessário para aderir etapa seguinte. Percorreu 37.189 Km em 94 horas e um minuto. Para completar o exercício, liberou à metade caminho das bombas factícias, a sua tonelagem não foi comunicada.



Hechas descubrir este lugar

©2000-2019 Olivier
todos os direitos reservados
CNIL : 844304

174 messages dans le Livre d'or.
854 commentaires vidéos.
O número máximo de usuários on-line : 127 em 27 Septembre 2007 à 22:02:33
-- 14 visitantes --

Version Mobile Tweeter Partagez moi sur Viadeo Partagez moi sur Facebook
FR EN DE IT SP PO NL